Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

YogaProjection

Mantenha o Eu, o Yoga adapta-se. ∞ Keep the Self, Yoga adapts.

YogaProjection

Mantenha o Eu, o Yoga adapta-se. ∞ Keep the Self, Yoga adapts.

Yoga Personalizado

As sessões de Yoga personalizado são um serviço que visa estreitar a relação entre o Yoga e o praticante e, entre este e o seu corpo e mente, com o fim último de estabelecer uma condição de bem-estar duradoura.


O Yoga, aparece nos dias de hoje, como uma modalidade cada vez mais completa no que toca à gestão da condição física e emocional e, por esse motivo, cada vez mais em voga, conquistando inúmeros adeptos. O motivo, prende-se com o facto de ser uma actividade que conjuga posturas físicas, mais ou menos intensas, consoante a condição do praticante, com exercícios de respiração, cujo objectivo primordial, é activar o sistema nervoso parassimpático, portanto, restabelecendo a sensação de acalmia e tranquilidade necessárias para garantir a saúde, física e emocional.


A primeira destas sessões é a mais importante e, por isso, gratuita. É nesta sessão que aferimos empatia, intenções e estabelecemos o fio condutor das futuras sessões. A conversa, segue em torno das questões de saúde (física e emocional) do praticante, das expectativas em relação ao Yoga, e do melhor caminho a trilhar para as alcançar.


As sessões seguintes, poderão tomar uma infinidade de rumos, uma vez que, estarão completamente adaptadas aos objetivos definidos:


∞ Aulas predominantemente físicas - asanas (posturas): as asanas correspondem ao terceiro membro, do que se pode considerar, o caminho do Yoga definido por Patanjali, nos Yoga Sutras. São também, a componente do Yoga mais amplamente divulgada e conhecida no Ocidente, pelo que, serão certamente alvo de uma atenção especial nestas sessões de Yoga personalizado. A forma como o corpo será trabalhado através das asanas, nomeadamente, se privilegiamos força, flexibilidade, equilíbrio, um grupo de músculos específico, entre outras possibilidades, dependerá dos objetivos definidos com o praticante. Naturalmente, serão tidas em conta as necessárias contra posturas durante a sessão, e o equilíbrio da mesma, de forma a que o corpo possa, no final, sentir os benefícios plenos da prática.


∞ Aulas predominantemente relaxantes - pranayama (práticas respiratórias): as técnicas de respiração são o quarto membro do caminho do Yoga e, também bastante conhecidas no Ocidente. Acalmam o sistema nervoso, focando e tranquilizando a mente, e geram um clima de serenidade de dentro para fora, que aumenta a concentração. Estas práticas, terão maior ou menor evidência nas sessões de Yoga personalizado, de acordo com as intenções do praticante. Para além de pranayama, poderão ainda ser executadas um conjunto de posturas passivas do Yoga, especialmente indicado para praticantes em recuperação de alguma condição de saúde, e/ou que pretendam apenas restabelecer o equilíbrio do seu organismo, compensando uma rotina diária agitada.

∞ Sessões teóricas: havendo interesse por parte do praticante, poderão ser levadas a cabo sessões puramente teóricas, cuja metodologia, terá em conta a forma como o praticante se sente mais confortável em receber a informação, e versarão sobre as temáticas que a este mais aprouverem, dentro da vastidão da literatura associada ao Yoga. 

∞ Sessões de meditação: A meditação (dhyana) é o sétimo membro do caminho do Yoga de acordo com Patanjali, podendo ser definida como o alinhamento natural e espontâneo do corpo, respiração, mente e espírito. Amplamente reconhecida no Ocidente, é uma prática que traz mais equilíbrio mental e emocional e, como consequência, mais paz interior. A meditação poderá ser incluída na sessão de asanas e/ou pranayama ou ser o foco essencial de toda a sessão. Neste último caso, não havendo a preparação prévia do corpo e mente através das posturas e dos exercícios respiratórios, o praticante será preparado para a sessão através dos dois membros anteriores do caminho do Yoga, nomeadamente, pratyahara (controlo dos sentidos e estabilização das sensações da mente) e dharana (concentração e atenção fixa em um único ponto). As sessões de meditação poderão ser guiadas ou em silêncio.


∞ Para além do exposto, poderão ainda ser incluídos, nas sessões de Yoga personalizado, vários outros elementos, conforme o praticante esteja mais ou menos disposto a aprofundar a filosofia. Destaco os mantras, kryas, bandhas e mudras.


Uma sessão típica, iniciar-se-á com um breve momento de concentração e preparação para a prática, seguida de aquecimento articular e cardiorrespiratório. A prática das posturas de Yoga (asanas), organizadas de acordo com o que o praticante pretende alcançar, será seguida por exercícios de respiração (pranayama). A sessão termina com um exercício de recuperação e relaxamento (Yoga nidra).


O local da prática será aquele, no qual o praticante se sinta mais confortável. Assim, as sessões poderão decorrer em casa, no escritório, ao ar livre ou em qualquer outro local. Caso o praticante não disponha de nenhum local propício à prática de Yoga, (tranquilo e arejado), será encontrado um local adequado a esse fim, que lhe facilite a gestão da vida diária.


Nas sessões de Yoga personalizado, o bem-estar e satisfação do praticante estão em primeiro lugar. Nestas sessões, pode-se (e deve-se), esperar uma atenção redobrada à individuação do praticante, atenção essa que o irá distinguir, enaltecer e cuidar.


Ao dispor,

Inês 

DSC_1056.jpg

 (foto por foto.alma)

Yoga no dia-a-dia #2

Paro muitas vezes ao dia. Sou mandriona ou conscienciosa?

 

ilustración-de-una-mujer-representando-cómo-nos-

 

Tenho andado, nas últimas duas semanas, a aprender sobre Yoga restaurativo.

 

Se as primeiras referências ao Yoga restaurativo são atribuídas a B.K.S. Iyengar, que compreendeu a importância do uso de acessórios para auxiliar os alunos na execução das posturas de Yoga, terá sido Judith Lasater, uma sua discípula, a desenvolver um método inovador que consiste numa prática de posturas passivas do Yoga, envolvendo o aluno em acessórios. Esta prática, tem o fim último de ajudar o praticante a alcançar o relaxamento profundo, com proteção, conforto e o mínimo de esforço possível. Miila Derzett, discípula de Lasater, criou posteriormente o método restaurativo, em muito inspirado no método Relax and Renew da norte-americana Judith Lasater, mas incluindo o toque, com intenção de reestruturar laços a partir do afecto, e o diálogo após a prática, com presença e acolhimento.

 

É muito comum, nos dias que correm, revestirmos o descanso e o ócio de caráter negativo, associando-o à preguiça, desmotivação e mandriice. Assim, mantemo-nos acordados mais horas do que o nosso corpo merece, trabalhamos acima do que realmente deveríamos e, permitimo-nos muito menos momentos de descanso do que realmente precisamos.

 

Daqui, resultam invariavelmente situações de fadiga, fraqueza e stress, este último, muito associado ao estilo de vida ocidental. Considerando o stress, como o conjunto de perturbações que ocorrem no nosso organismo, quando estamos perante um estímulo ou um agente agressor, podemos compreender que, nem todo o stress é negativo. É, pelo contrário, necessário à nossa sobrevivência, uma vez que, através da libertação de várias hormonas, entre elas a adrenalina e o cortisol, nos aguça os sentidos e nos prepara para a resposta - lutar ou fugir. Compreendemos o stress como prejudicial, quando passa a ser crónico, ou seja, quando vivemos num estado de ansiedade permanente, com constantes descargas de hormonas de ação. 

 

Se considerarmos que, o simples ato de acordar pela manhã nos exige um pequeno nível de stress, (de forma a nos adaptarmos à nova condição – antes a dormir, agora acordados), compreendemos como, ao longo de um dia normal, a nossa resposta ao stress é constantemente ativada. A criança que cai ao chão, uma buzinadela, a porta que quase se fecha, a reunião à qual chegamos atrasados. Todas estas pequenas situações do dia-a-dia, despoletam reações internas, que balançam o processo de homeostase (equilíbrio) do nosso organismo. Torna-se assim premente, nutrir este mesmo organismo, de hormonas que reponham o equilíbrio e contrabalancem o processo. Se, sempre que dormimos, repomos estas hormonas de forma inconsciente, o que se pretende com o Yoga restaurativo, é que nos permitamos ativar esta resposta de relaxamento profundo, de forma deliberada e consciente.

 

A proposta é que, de um modo geral, baixemos o estandarte do stress. Que deixemos de crer que, para sermos bem-sucedidos temos de ser (ou parecer) stressados. Que podemos ser ativos, ocupados e requisitados sem parecer que nos vamos afogar a qualquer momento. Nesta premissa, reúnem-se não só os estudos que justificam o Yoga restaurativo, mas também o Mindfulness e todas as terapias/filosofias que estimulam a pausa e a atenção plena ao aqui & agora.  

 

No que toca ao Yoga restaurativo, eu, sou só uma curiosa! Será a minha amiga Bárbara Espírito Santo quem terá a mestria de nos conduzir numa sessão completa! Permitamo-nos parar. 

DSC_0163....jpg

 (foto da aula aberta de Yoga restaurativo da Bárbara, no Prema Yoga, Oeiras)